Secretaria de Políticas de Prevenção à Violência e às Drogas

Taça das Favelas tem foco na prevenção à violência em Pernambuco

A Central Única das Favelas (Cufa), em parceria com o Governo do Estado, através da Secretaria de Políticas de Prevenção à Violência e às Drogas, lançou a Taça das Favelas, no Palácio do Campo das Princesas, nesta terça-feira (dia 10). O evento vai unir a prática esportiva, competição amadora e integração entre comunidades que, em Pernambuco, terá foco na prevenção social à violência com a inclusão social e influência positiva na realidade de crianças, adolescentes e jovens.

O lançamento da Taça das Favelas contou com a presença do governador de Pernambuco, Paulo Câmara, do secretário de Políticas de Prevenção à Violência e às Drogas, Cloves Benevides, e dos representantes da Cufa, além de esportistas e líderes comunitários envolvidos com o evento. Carlinhos Bala, que jogou pelos três maiores clubes pernambucanos, e Maria Eduarda, a Duda do São Paulo Futebol Club e da seleção feminina de futebol, prestigiaram o lançamento da Taça das Favelas.

O secretário Cloves Benevides classificou como prioritárias as ações que promovem adolescentes e jovens nas iniciativas de prevenção social. Programa com a marca da secretaria, o Juventude Presente possui diferentes estratégias de mobilização e a prática esportiva é uma delas. “A Taça das Favelas possui características que dialogam com as ideias de prevenção que defendemos: integração entre comunidades, reforço na autoestima dos jovens e espírito de equipe. Isso sem falar na oportunidade de revelar novos talentos, a partir dos campinhos em Pernambuco”, comentou Cloves Benevides.

A Taça das Favelas é organizada pela Cufa em dez unidades da federação do país. É considerado o maior torneio de futebol de campo entre comunidades do mundo, com mais de 100 mil jovens participando da competição. As inscrições ocorrem por aplicativo disponível nas plataformas Android e IOS ou no site www.tacadasfavelas.com.br. A disputa começa na fase de peneiras, nas próprias nas comunidades. As chaves são montadas por sorteio, depois vem a fase de grupos, as quartas-de-final, as decisões e a grande final.

PREVENÇÃO – Todas as grandes etapas da Taça das Favelas vão ocorrer em conjunto com uma Ação de Cidadania, na própria comunidade. A Ação de Cidadania é parte do Programa Governo Presente e reúne cerca de cem serviços públicos e privados, além de exames preventivos de saúde e difusão de direitos para o cidadão. A Ação de Cidadania funciona como um mutirão para o cidadão atualizar sua documentação (RG, CPF, certidões em geral, carteira de habilitação, informações sobre carteira profissional), saúde (exames preventivos para saúde da mulher, testes rápidos, aferição de pressão, vacinação, informações sobre saúde bucal), distribuição de itens de cuidados pessoais, além de muitas informações sobre outros serviços e acesso a direitos.

O Programa Juventude Presente vai oferecer aos atletas amadores inscritos na Taça das Favelas vagas em cursos de qualificação profissional e atividades de prevenção à violência. Em 2020, o Juventude Presente possui 15 mil vagas em instituições de ensino privadas, com tradição na área de qualificação profissional e conhecimento do mercado de trabalho. São vagas em cursos de introdução à informática, técnicas de vendas, noções de administração, entre outros.

A competição visa contribuir para a promoção da inclusão social através do esporte, de forma a influenciar positivamente a realidade dos adolescentes e jovens pernambucanos. As inscrições são abertas para os meninos de 14 a 17 anos e, entre as meninas, a partir de 17 anos. A taça abre espaço para times masculinos e femininos, igualmente.

 

HISTÓRICO – A primeira edição da Taça das Favelas foi realizada em 2012 e, desde então, tem se consolidado na revelação de novos talentos para o futebol. Entre os destaques, Erick Brendon, ex-jogador do América, disputou a Taça das Favelas 2012 representando o Complexo do Alemão, no Rio. Hoje, Erick defende o padrão do sueco IFK Varnamo. Matheus Norton também é uum nome lembrado: jogou a edição de 2013 e, no ano passado, se destacou na conquista do Torneio de Terborg, na Holanda. Hoje é um atleta profissional no mercado europeu.

A competição ganhou mais notoriedade no cenário mundial depois que grandes craques, como Zico, Júnior, Bebeto e Romário apoiaram a iniciativa. A Taça é um sucesso e a cada ano cresce o número de comunidades inscritas. Em 2020, dez estados estão com suas comunidades em ação.

Além de dar oportunidade aos jovens talentos das favelas de brilharem e irem em busca do sonho de iniciarem a carreira profissional, a Taça das Favelas tem como objetivo proporcionar novas experiências educacionais e culturais a estes jovens. Acreditamos que a conscientização é essencial também fora do campo de jogo, e é dessa forma, pensando além das quatro linhas, que a Secretaria de Políticas de Prevenção à Violência e às Drogas e a Cufa oferecem workshops e palestras durante o torneio.

O hino das Taças das Favelas de Pernambuco é em ritmo de passinho e foi criado por Gilmar Bolla 8 e Bactéria. Os dois são do COMBO X e tem no currículo a fundação da Nação Zumbi e do Mundo Livre S/A.

O Projeto Taça das Favelas de Pernambuco terá a participação de municípios da Região Metropolitana do Recife (RMR).

Coordenador de comunicação: Celso Calheiros – 81-99139-8866

 MG 5486(Pablo Carvalho/SPVD)