O Projeto Novos Caminhos promove oportunidades de reinserção socioprodutiva de pessoas com problemas decorrentes do abuso ou dependência de drogas lícitas e ilícitas O atendimento é prioritário para as pessoas que estão em situação de vulnerabilidade pessoal e/ou risco social. O Projeto Novos Caminhos oferece atividades nas áreas de qualificação social, qualificação profissional, elevação da escolaridade e oportunidades de trabalho e emprego.

O projeto é executado nos centros de acolhimento intensivo do Programa Atitude e em entidades que atuam na área de políticas sobre drogas no atendimento de pessoas que estão dentro do perfil de atendimento do projeto e desejam firmar parceria com a Secretaria de Políticas de Prevenção à Violência e às Drogas.

A atuação desse projeto visa resolver o problema da baixa escolaridade, a escassez de oportunidades de qualificação socioprodutiva e a falta de oportunidades de trabalho para jovens e adultos socialmente vulneráveis em decorrência do abuso ou dependência de drogas lícitas e ilícitas.

As atividades ofertadas se distribuem em quatro eixos de atuação:

Eixo 1: Qualificação Social com elaboração de currículo, cuidado com imagem profissional, informações sobre atendimento ao público, empreendedorismo, gestão financeira, relacionamento interpessoal, autoconfiança, olhar para a autoestima, entre outras;

Eixo 2: Qualificação socioprodutiva, com capacitação em barbearia, cabeleireiro, manicure, pedicure, jardinagem, serviços gerais, artesanato, entre outras;

Eixo 3: Elevação da escolaridade com oficinas de alfabetização, letramento e raciocínio lógico matemático;

Eixo 4: Inserção em oportunidades de trabalho e emprego com parcerias com instituições para inserção dos participantes do projeto em oportunidades de trabalho e emprego e inserção por meio da lei estadual número 15.2019 (de 17 de dezembro de 2013). A legislação prevê que as empresas prestadoras de serviços terceirizados, contratadas por órgãos e entidades do poder executivo estadual, devem prever no edital da licitação que pelo menos 2% da mão de obra contratada, por empresas que possuam cem ou mais empregados, sejam de pessoas que foram ou são acompanhadas pelo Programa Atitude, entre outros públicos descritos na lei. Criação de um selo social para as empresas parceiras como incentivo no desafio da reinserção social de pessoas com problemas decorrentes do abuso ou dependência de drogas lícitas e ilícitas, prioritariamente as que estejam em situação de vulnerabilidade pessoal e/ou risco social.